Archive Page 2

A representação dos profissionais de comunicação no Twitter: Análise dos perfis de Marcelo Tas e Edney Souza

O serviço de micropostagens Twitter recebe apropriações das mais variadas pelos internautas. No próximo domingo, apresentarei junto à Erika Oikawa, no congresso da Intercom 2009 em Curitiba, os resultados da nossa pesquisa que se ocupou da representação dos profissionais de comunicação neste ambiente.

Os nossos objetivos na pesquisa foram analisar a apropriação que os profissionais de comunicação fazem do serviço de micropostagem Twitter para representar o seu perfil nas redes sociais online e verificar quais os valores são construídos a partir dessas representações.

Centramos nossas análises no perfil de um profissional da mídia de massa e de um profissional micromidiático digital, representados, respectivamente, pelo apresentador Marcelo Tas, do Programa CQC da Band, e por Edney Souza, blogueiro profissional de renome no Brasil.

A escolha dos dois perfis levou em conta o estudo de Primo (2009) sobre a existência de celebridades da e na blogosfera, que aponta o blogueiro Edney Souza como um ator social de renome na blogosfera, destacando-se frente aos seus pares, mas não como uma celebridade. Por outro lado, o jornalista Marcelo Tas, apresentador do programa CQC da rede Bandeirantes, de abrangência nacional e de massa, é considerado uma verdadeira celebridade na blogosfera.

Neste mesmo contexto, partimos da hipótese de que o perfil de Edney Souza no Twitter é do nível micromidiático, enquanto apontamos Marcelo Tas como um jornalista da mídia de massa TV, que mantém uma conta no Twitter. Visto isso, a nossa hipótese foi também de que o apresentador utiliza o Twitter para se  aproximar de sua audiência, o que, consequentemente, “realimenta a sua própria indústria cultural” (Primo, 2009). Desse modo, optamos por dois modelos de profissionais para esta pesquisa, um do modelo de massa e outro do modelo que surge com as mídias sociais da web.

A escolha dos perfis também se deu pelo conceito de encadeamento midiático de Primo (2008), em que aponta o blog de Edney Souza como micromídia digital, conceito desenvolvido pelo autor, baseando-se na tipologia de Thornton que abrange a  mídia de massa, de nicho e a micromidiática.

Através de uma Análise de Conteúdo de dois mil tweets (postagens), fizemos uma tabulação cruzada quantitativamente do conteúdo das mensagens, dos retweets (RT) e dos tipos de links encontrados para obtermos resultados qualitativos dos dados.

Foram utilizadas cinco variáveis: uso do Twitter, conteúdo da mensagem, tipo de link, caminho do  link e retweet. Quanto ao uso do Twitter, as postagens foram classificadas em quatro categorias: falas  diárias, conversação, compartilhamento e notícias (baseamo-nos no artigo de Java et al, 2007). A variável conteúdo da mensagem foi classificada em: profissional e não-profissional. Foram categorizados três tipos de link: link interno, quando se destinava ao endereço (URL) pessoal ou da empresa do internauta; link vizinho, quando se destinava para algum URL de um colega profissional ou cliente do twitteiro; e, link externo, quando era para endereço fora do ambiente do twitteiro. Quanto ao caminho do link, os mesmos foram categorizados em: mídia social, quando apontava algum tipo de mídia de rede social; site, quando se direcionava a portais ou sites empresas/instituições; e, outros, no caso de apontar para a descarga de um arquivo ou documentos online. Por fim, quanto ao retweet, foram identificadas as postagens que eram ou não retweets.

Após a coleta e categorização, os dados foram analisados com auxílio do programa estatístico SPSS, pelo qual obtivemos os resultados entre todas as variáveis de forma individual e tabulação cruzada. Adiantamos aqui o resultado de uma das tabulações feitas.

Tabulação Cruzada Uso do Twitter * Conteúdo da Mensagem (% válido)

Tabulação Cruzada Uso do Twitter * Conteúdo da Mensagem (% válido)

Apresentaremos as outras tabulações e a análise dos resultados no domingo em nossa apresentação. Após, publicaremos aqui o link para os que se interessarem pelo artigo completo.

Para quem desejar nos assistir, será um prazer receber críticas e sugestões à nossa pesquisa, visto que ainda temos dados que não foram publicados neste momento que serão utilizados para artigos futuros.

  • GP CIBERCULTURA
  • DT5 – Painel Interações no Twitter
  • Dia 6/9 das 09h00 às 12h00 – Bloco Azul – sala 215
  • Trabalho: A representação dos profissionais de comunicação no Twitter: Análise dos perfis de Marcelo Tas e Edney Souza
  • Autores: Gilberto Balbela Consoni (UFRGS), Erika Oikawa (UFRGS)
  • Confira a programação completa no blog do Grupo de Pesquisa
Anúncios

UFRGS publica cartilha de como fazer rádio comunitária com licença Creative Commons

screen-capture

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), através da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (Fabico) e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação (PPGCOM), está publicando a cartilha “Para fazer RÁDIO COMUNITÁRIA com “C” maiúsculo.

A obra é organizada por Ilza Girardi, professora do PPGCOM, e Rodrigo Jacobus, mestrando do programa, e dá sequência a um trabalho de seis anos que já havia publicado a “Cartilha (sem frescura) da Rádio Comunitária”.

A cartilha, que traz um histórico das rádios comunitárias, questões da legislação e fornece informações de como montar uma rádio, está sobre licença Creative Commons e pode ser distribuída gratuitamente sobre a mesma licença, que pode ser conferida na página 4 da obra.

Baixe seu exemplar e redistribua a cartilha, reforçando a importância de obras compartilhadas sem custo, priorizando o acesso livre à informação.

Para fazer RÁDIO COMUNITÁRIA com “C” maiúsculo

CNN também adota mídia social You Tube para o seu 5º Concurso Universitário de Jornalismo

As mídias sociais presentes na web recebem cada vez mais a atenção dos veículos e profissionais de comunicação. Assim como o famoso festival de Cannes que está promovendo o concurso You Tube Cannes Young Lions, a CNN também utilizará o You Tube para seu concurso universitário de jornalismo em 2009.

O tema do  5º Concurso Universitário de Jornalismo da CNN parece mostrar o interesse do veículo na formação de jornalistas que compreendam a aproximação da tecnologia com a sociedade. Com o tema “O uso da tecnologia no desenvolvimento social“, os estudantes de jornalismo devem produzir um vídeo de até 2 min e enviá-lo via You Tube. O estudante pode inscrever quantos vídeos desejar.

Diferente do Cannes Young Lions, o critério que definirá o vencedor não será a propagação viral do vídeo, mas a sua qualidade. A comissão julgadora, composta pelos jornalistas Heródoto Barbeiro (apresentador Roda Viva), Lúcia Araújo (gerente Canal Futura) e Marcelo Tas (CQC), seguirá os seguintes critérios: 1) adequação ao tema proposto e aos objetivos do briefing; 2) conceito; 3) passagem; 4) off; 5) sonora; 6) criativiade; e, 7) originalidade.

As inscrições do concurso vão até 29 de junho e o vencedor conhecerá os estúdios da CNN em Atlanta nos EUA. O concurso mantém um blog onde podem ser assistidas entrevistas com os jurados das comissões julgadora e de triagem.

Adotando o próprio You Tube como meio para o concurso, a CNN está veiculando essas entrevistas e o próprio comercial de divulgação do concurso na mídia social You Tube.

Cannes Young Lions usa de marketing viral e do site You Tube em concurso que promove Oxfam

Jovens de todo o mundo tiveram 48 horas, a contar da meia noite de 15 de maio, para produzirem um video para o concurso You Tube Cannes Young Lions. O propósito do concurso é associado à produção de uma propaganda viral de uma importante entidade mundial que seria conhecida apenas às 0hs do dia 15. A organização escolhida foi a Oxfam que lida com ações ativistas em favor ao meio ambiente.

A Terra está doente e todos sentimos isto na pele. Entre os dias 7 e 18 de dezembro de 2009, ocorre em Copenhagen o United Nations Framework Convention on Climate Change quando a ONU discutirá como substituir o atual tratado de Kyoto. Para quem não lembra ou não sabe, este é o tratado que também estabelece o quanto de dióxido de carbono (CO2) um país pode liberar na atmosfera e que os EUA nunca querem assinar.

O Cannes Young Lions escolheu o tema da reunião de dezembro associado à entidade Oxfam. Os jovens participantes precisaram fazer um video convidando o internauta a assinar a petição no site da Oxfam para se associar à causa.

O Clube de Criação da Fabico (Caixola) produziu o video The Humingbird and the Elephant que, em épocas de mídias sociais em rede, lembra o quanto uma pequena atitude é importante na coletividade.

Capparelli falará sobre indústrias culturais na china dia 29 de abril em palestra na UFRGS

Palestra é aberta a todos alunos e professores da Fabico

Alunos da graduação também podem participar do ciclo de palestras do PPGCOM

Publicar ou interagir no jornalismo: serviço interativo de micromensagem não é microblog

A revista eletrônica Fantástico da TV Globo passou a contar com atualizações no Twitter desde o dia 8 deste mês, mas somente ontem, após uma reportagem sobre mídias sociais no próprio programa, parece que o grande público teve conhecimento do novo perfil, já que o serviço ficou instável momentos após a reportagem. Isto sempre ocorre quando alguns fatos levam a um elevado fluxo de internautas ao serviço de micromensagens.

Desde maio de 2008, quando escrevi sobre o uso dado ao Twitter e criticava as contas agregadoras de notícias, já via o serviço como um serviço de micromensagens destinado à interação e não como um microblog. Na Intercom de 2008, ao apresentar meu trabalho que discutia relações sociais em ambientes virtuais, falei de diferenças entre sistemas de micromensagem que apontavam essa interação entre os internautas, uns com maior conversação e grupos menores (Plurk) e outros com menor diálogo (Twitter), mas com grande interação entre os interagentes através de trocas de informações em grupos maiores. As atualizações dos twitteiros/plukeiros são feitas com a intenção principal de interagir, mesmo que muitos utilizem para divulgar links dos próprios blogs (como eu mesmo fiz ao término desta postagem), a maioria dos links divulgados são na intenção de compartilhar e não apenas de criar reputação na rede.

Essa diferença entre postar um texto num blog e fazer-se atualizações num serviço online na intenção de interagir, mesmo que a interação não seja a conversa [penso aqui na interação reativa ou mútua (Primo, 2007)], é o que diferencia os serviços de micromensagens dos blogs que já percebia no meu próprio uso dado ao Twitter desde 2007.

Esta diferença entre postar e interagir é o que vejo necessário ser percebido pelos veículos de comunicação que desejam utilizar os serviços de micromensagens como canal de comunicação com sua audiência.

Era o primeiro anuncio da criação da conta no próprio Fantástico, que já deixava claro desde sua primeira atualização que, provavelmente, seguirá o mesmo uso dado ao Twitter por outros Meios de Comunicação de Massa (MCM). Na bio do perfil @showdavida, vê-se que servirá para divulgar novidades e bastidores do programa e do site do Fantástico.

O fato do Twitter baleiar durante o anuncio da conta aponta algumas premissas que tenho com os mídias. Os MCM ainda são mais importantes na divulgação de informações para grandes audiências. Mesmo que twitteiros de plantão já estivessem falando no Twitter da reportagem que iria ao ar momentos antes da transmissão, foi após o anúncio do endereço twitter.com/showdavida por Zeca Camargo que o perfil passou a receber novos seguidores.

Momentos antes da reportagem ser transmitida na TV, o perfil do Fantástico possuía 1293 seguidores, cerca de duas horas depois eram 3120 e hoje até 12h e 8min o número subiu para 4651.

Conta @showdavida antes da reportagem na TV

Conta @showdavida antes da reportagem na TV

Certamente, se todos esses cerca de cinco mil seguidores acessassem ao mesmo tempo a conta do Fantástico, o serviço do Twitter não ficaria instável, mas essa diferença mostra que muito mais internautas foram até o perfil do programa naquele momento que trancou o serviço, também mostra que a maioria não passou a seguir a conta @showdavida.

Conta @showdavida 2h após a reportagem na TV

Conta @showdavida 2h após a reportagem na TV

O fenômeno ocorre por dois motivos. A maioria das pessoas que chegaram até o endereço anunciado pelo apresentador nunca havia ouvido falar no Twitter e, obviamente, não possuía conta para seguir o @showdavida, como o próprio Zeca parecia não saber, pois deu a entender que era necessário estar cadastrado no Twitter para acessar o endereço no final da reportagem.

Qualquer twitteiro já sabia que para acessar a página não é necessário estar cadastrado e que a criação da conta é necessária para que se forme a rede de seguidos e seguidores. O fato é que a maioria dos brasileiros que navega pela Internet sequer sabia da existência do Twitter até sua divulgação no Fantástico, quem dirá informações básicas do serviço.

Porém, por que aqueles já twitteiros que acessaram o perfil @showdavia não passaram a seguir as atualizações do Fantástico? Não há dúvida que os primeiros a acessar a conta em seguida à reportagem na TV foram eles, como também não tenho dúvida que foram milhares deles aqui no Brasil. Mas, então, porque que esses milhares não passaram a seguir a conta do Fantástico?

  • Show da Vida 2009

Tenho acompanhado o Fantástico há alguns domingos para verificar as mudanças prometidas para a programação de 2009 e já percebo as reportagens mais aprofundadas, excluindo essa das mídias sociais pois acho que faltou atenção a alguns pontos, mas que também não me sinto no direito de criticá-la, já que é destinada para a massa. Não que eu não seja massa, pois todos somos receptores de massa em algum momento, como na reportagem sobre a doação dos órgãos na semana passada, quando achei o máximo a forma como foi explicado o diagnóstico de morte cerebral, entendi que a reportagem atingiu seu objetivo frente à sua audiência de massa. Por outro lado, a minha irmã criticou que outros pontos da medicina precisavam ser ressaltados. Mas, ela é médica e creio que tais pontos sejam no mesmo nível dos que eu senti falta na reportagem dos mídias sociais por pesquisar esses serviços. São essas mudanças que tenho percebido nas reportagens do fantástico que também são necessárias nos meios digitais.

Ontem a massa do Fantástico teve acesso à conta @showdavida, os próprios twitteiros tomaram conhecimento ao mesmo tempo, mas pouquíssimos passaram a seguir o perfil. Isto ocorre porque o Fantástico está vendo o serviço como uma novidade para a sua massa e manteve o mesmo formato que vejo na maioria das contas de veículos jornalísticos no Twitter, de divulgação de informações da sua própria produção. Continua sendo um canal de única-via um-todos. Estão vendo o Twitter como um blog, destinado primeiro à postagem de textos e depois a interação quando permitidos os comentários.

  • Interação, não publicação

Como já discutido no início deste texto e em outra postagem, é necessário que o jornalismo no Twitter perceba que o grande potencial desse serviço está na interação entre seguidos e seguidores. O @showdavida não pode vir com o formato de apenas ser seguido se deseja ter um canal interativo com sua audiência, necessita seguir e interagir, ouvir mais e dizer menos. Pois este é o principal motivo pelo qual eu não sigo nenhum serviço de notícias no Twitter, pois eles publicam muitas atualizações que encheriam minha página de links. Como já falei antes, pra isso eu uso os Feeds.

Se o @showdavida tivesse publicado perguntas aos seguidores, dado a oportunidade de participação deles no programa na TV através do Twitter, entre outras formas de interação, eu mesmo passaria a seguir a conta. Mas, vale lembrar que essas possibilidades de interações têm de ser importantes ao internauta, pois são vários os exemplos de sistemas e redes que não tiveram sucesso pelo fato do internauta não encontrar uma utilidade que o fizesse manter-se no serviço. Dessa mesma forma, o twitteiro não manterá uma relação interativa com outros caso essa relação não seja importante ou útil para ele manter o vínculo.

Os twitteiros como eu que chegaram até a conta do Fantástico e não passaram a seguí-la, provavelmente pensaram que era mais uma conta de um MCM no Twitter.

O Fantástico precisa de um serviço de micromensagem para interagir e ouvir mais, não apenas para falar dos “bastidores” e “novidades” como num blog. Tem que ser um serviço de micromensagem interativo e não um microblog. A propósito Zeca Carmargo, mesmo que eu tenha deixado claro e escrito que não concordo com isso há mais de um ano, o que andam chamando o Twitter por aí é de Microblog e não Miniblog. 😛

  • Como ficar rico com o Twitter?

Se você precisa de um incentivo para criar um modelo de jornalismo para serviços de micromensagens como o Twitter, leia esta notícia da CNN que pagou um belo troco ao proprietário da conta @CNNbrk que tem mais de um milhão de seguidores.

Como criar uma versão do blog para celulares?

screen-capture-8A partir de hoje, os visitantes deste blog contam com uma versão destinada a dispositivos móveis. O link de acesso é http://gilbertoconsoni.mofuse.mobi/?sm=1 e ficará disponível no menu lateral.

Nessa versão são carregados apenas os títulos das postagens na Página Inicial. Imagens e textos carregam após a escolha do internauta. A outra vantagem é que o menu lateral, com Principais mensagens, comentários recentes, clicks em alta, etc, não carregará, evitando aquela longa página ao se acessar versões não destinadas a celulares.

Por seu propósito, este blog tem textos longos, foge da regra aconselhada para o texto web que deve ser curto, quanto mais para celulares. O serviço instalado modifica a estrutura do blog, mas o formato do texto permanecerá. O serviço instalado foi o MoFuse.


.:clicks em alta

  • Nenhum

.:del.icio.us

Creative Commons License
Blog Web Research by Gilberto Consoni is licensed under a Creative Commons.

.:visits since 11fev08

  • 143,322

%d blogueiros gostam disto: